Goioerê, sexta-feira, 19 de agosto de 2022 ESCOLHA SUA CIDADE

Paraná

01/07/2022

Em menos de dois meses, Comboio da Saúde atende quase 4,5 mil pacientes

Em menos de dois meses, Comboio da Saúde atende quase 4,5 mil pacientes

Iniciativa agiliza agendamentos, consultas e exames que antecedem as cirurgias de catarata e pterígio. Objetivo é ofertar atendimento regionalizado e descentralizado em todo o Paraná. A fila atualizada para essas cirurgias possui mais de 26,5 mil pacientes.

Um balanço da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) mostra que 4.467 pacientes já foram atendidos pelo Comboio da Saúde para realização de agendamentos, consultas e exames que antecedem as cirurgias de catarata e pterígio, desde o início do programa lançado no dia 12 de maio. O investimento do Governo do Estado nesta estratégia soma mais de R$ 10,3 milhões.

A ação da Secretaria estadual da Saúde busca acelerar os procedimentos de oftalmologia e ofertar atendimento regionalizado e descentralizado em todo o Paraná. A fila atualizada para essas cirurgias possui mais de 26,5 mil pacientes. Deste total, 17,7 mil precisam fazer cirurgia de catarata e 8,8 mil de pterígio.

Os comboios foram realizados até o momento em Ibiporã, Campo Largo, Telêmaco Borba, Arapoti, São José dos Pinhais, Matinhos, Irati, Guarapuava e Ponta Grossa. “O Comboio é mais um esforço do Governo do Estado para diminuir filas de espera e levar o atendimento para mais perto da casa dos paranaenses, principalmente porque quase toda a demanda para esses procedimentos refere-se a pessoas idosas, que não devem se deslocar por horas até uma unidade de referência”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, César Neves.

Com foco na regionalização dos serviços, investimentos em obras da Saúde somam R$ 870 milhões

Para realização das cirurgias, oito unidades hospitalares, localizadas em Campo Largo, Cornélio Procópio, Jacarezinho, Irati, Londrina e Cascavel, se credenciaram por meio de edital da Secretaria da Saúde. Os hospitais devem absorver a demanda de atendimento dos municípios de abrangência de suas respectivas regiões.

OPERA PARANÁ  Fora as ações do Comboio, a Secretaria da Saúde também lançou o Opera Paraná, maior programa de cirurgias eletivas com investimento recorde de R$ 150 milhões do Governo do Estado. Entre as especialidades atendidas estão ortopedia, cirurgia vascular, ginecologia, otorrinolaringologia, oftalmologia — exceto catarata e pterígio — e cirurgia geral.

Secretaria de Saúde reforça compromisso de controle da hanseníase no Paraná

A destinação do recurso foi formalizada por meio da Resolução Sesa nº 1.104/2021 e deve abranger os mais diversos serviços de Saúde do Estado, desde que se enquadrem nas normativas da resolução n° 1.127/2021. Até agora, pelo menos 822 cirurgias já foram feitas com recursos do programa, somando um montante de R$ 12 milhões do Tesouro do Estado. Além disso, a Saúde também já repassou R$ 25,3 milhões para os municípios com gestão plena da saúde.

REALIDADE – Cristina Haag dos Santos, de 46 anos, moradora de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, foi uma das pacientes beneficiadas pelo programa. O processo durou um ano e meio, até que em abril deste ano ela se submeteu à cirurgia de hérnia, um problema antigo que causava desconforto e dores. “A pandemia suspendeu minha operação e agora consegui finalmente fazer. Não tenho o que reclamar do sistema de saúde. Desde o primeiro atendimento até a realização da cirurgia e pós-cirúrgico deu tudo certo. Estou bem e minha operação foi um sucesso”, disse.

Pronto-socorro do Hospital do Trabalhador celebra 24 anos com 1,3 milhão de pessoas atendidas

Atualmente, estima-se que pelo menos 200 mil procedimentos eletivos e 300 mil consultas médicas especializadas, caracterizadas como prioritárias, precisem ser realizadas no Paraná. A fila destes procedimentos está sendo compilada em um programa de gestão que integre os sistemas do Estado, município e consórcios. Este ano, o Estado deve realizar aproximadamente 250 mil cirurgias, além destas 60 mil a mais.

Alexsandro dos Santos, de 35 anos, morador de Coronel Vivida, na região Sudoeste do Paraná, também esteve na fila para a cirurgia e comemora o resultado do procedimento. “Fui atendido mais rápido do que o esperado. Tinha um problema no joelho e tive de operar o menisco pois estava rompido. Correu tudo bem, e está 100% meu joelho agora, com uma ótima recuperação”.

 

PUBLICIDADE

Fonte: GOIOERÊ | CIDADE PORTAL | AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DO PARANÁ - AEN

OPINE!

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. © 2017. Todos direitos reservados.

Desenvolvido por Cidade Portal