Goioerê, sexta-feira, 19 de outubro de 2018 ESCOLHA SUA CIDADE

Região

22/11/2017 | Concebido por Janiópolis

Declaração revolta cidade e vereador nega ter sugerido veneno em vez de remédio a moradores

Declaração revolta cidade e vereador nega ter sugerido veneno em vez de remédio a moradores

Uma declaração do vereador de Janiópolis, Elias Veloso Braga (PSD), durante a sessão ordinária da Câmara Municipal de segunda-feira (20), revoltou moradores da cidade, que pedem agora a saída do parlamentar do Legislativo. Durante a votação de um Projeto de Lei, que regulamenta o uso de agrotóxico no município, Braga supostamente teria sugerido veneno à população em vez de remédio. A sessão é transmitida ao vivo por uma rádio da cidade e a declaração do parlamentar ligeiramente ganhou as redes sociais. O vereador, que votou favorável ao projeto, nega que a afirmação tenha sido neste sentido. Ele disse que foi mal “interpretado”. “Houve um mal entendido muito grande a respeito”, disse à TRIBUNA.

O efeito da fala foi imediato. Em poucos minutos eram várias as manifestações de moradores contra a atitude do parlamentar. Braga teria dado a declaração durante uma discussão acalorada do projeto, fora do microfone, mas como estava aberto, a fala do vereador acabou indo ao ar: “(...) o negócio não pode dar remédio para o povo não, tem que dar veneno mesmo”, diz o vereador no áudio.

Após o vazamento, foram várias as manifestações de moradores nas redes sociais contra a atitude de Braga. “Para mim um ser desse não passa de um v... que só faz peso na terra”, protestou uma moradora. “Vamos à Câmara população, mostrar a força do povo”, sugeriu outro morador.

Algumas pessoas sugeriram a expulsão do parlamentar da Câmara. “(vamos) fazer uma manifestação com faixas e cartazes na frente da Câmara”, continuou outra moradora. “Sacanagem meu amigo, isso que é representante do povo? Enquanto as tetas estiverem dando leite sempre terá esse tipo de parasitas grudados. E infelizmente haverá quem o defenda e continue a votar em lixos assim. Uma pena”, criticou outro morador.

Outro lado

À TRIBUNA, o vereador explicou que como o projeto em discussão era sobre a regulamentação do uso de agrotóxicos, ele teria se manifestado no sentido de defender o projeto e lei. “O que quis dizer é que se continuassem passando veneno próximo das escolas e postos de saúde, desse jeito o negócio não pode dar remédio mais para o povo, tem que dar é veneno mesmo. Esta fala foi de inclinação favorável ao projeto, eu jamais iria sugerir veneno aos moradores. Tanto é que votei a favor do projeto para não passar veneno, pensando em proteger a saúde da população”, disse Braga.

Segundo ele, o caso não passou de um mal entendido. “Estou muito triste e chateado com isso. As pessoas que me conhecem sabem que eu jamais iria dizer uma coisa dessas, nunca agi com maldade e estou à disposição para me explicar para o povo”, argumentou.

Medidas

A reportagem conversou com o presidente da Câmara, José Mario Agostinho Souza (PTB), sobre o caso. Ele lamentou o fato. Disse que vai consultar a mesa do Conselho de Ética, e se haver o entendimento que o caso deve ser analisado, vai instaurar um procedimento investigatório contra Braga. “Não vamos fazer julgamento precipitado, vamos primeiramente ouvir o vereador para se explicar. Se após isso acharmos necessário algum procedimento, vamos tomar as providências”, frisou.

Lei aprovada

No fim das contas, o projeto de lei nº 32/2017, que regulamento o uso de agrotóxico no município, foi aprovado por 4 votos a 3. A lei foi uma sugestão do Ministério Público de Proteção ao Meio Ambiente, e proíbe a aplicação de qualquer tipo de agrotóxico a uma distância de até 300 metros nas proximidades de colégios, centros municipais de educação, hospitais, unidades básicas de saúde, e núcleos residenciais da área rural.

 

PUBLICIDADE

Fonte: JANIÓPOLIS | CIDADE PORTAL | TRIBUNA DO INTERIOR | WALTER PEREIRA

OPINE!

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. © 2017. Todos direitos reservados. Jornalista Responsável - Jairo Tomazelli - 0011632/PR

Desenvolvido por Cidade Portal