Goioerê, segunda-feira, 22 de outubro de 2018 ESCOLHA SUA CIDADE

Região

10/04/2018 | Concebido por Campo Mourão

Fantástico: Repórter do Planeta Extremo profere palestra em Campo Mourão

Fantástico:  Repórter do Planeta Extremo  profere palestra em Campo Mourão

No próximo dia 16 (segunda-feira), o jornalista Clayton Eduardo Conservani, repórter do quadro “Planeta Extremo”, do programa Fantástico (Rede Globo), profere palestra em Campo Mourão. Será a partir das 18h30min, no Teatro Municipal. Para assistir a palestra, o interessado deve fazer a doação de dois litros de leite. Todo o produto arrecadado será comercializado e os recursos destinados à manutenção da Casa das Fraldas São José.

“Limite Extremo” será o tema da palestra, que é uma realização da BRL e da Federação das Associações Comerciais e Empresarias do Paraná (Faciap). À frente da promoção estão a Coordenadoria das Associações Comerciais e Empresariais da Região Centro Ocidental do Paraná (Cacercopar), Sanepar, Governo do Estado, com patrocínio da Sercomtel, Sancor Seguros, Fomento Paraná e Itaipu Binacional.

O Palestrante

Acostumado a enfrentar situações extremas em suas reportagens, o jornalista discorrerá sobre “Limites Extremos” por meio de relatos sobre as aventuras que viveu em reportagens produzidas ao longo da carreira. Conservani já participou de quatro edições do Rally Paris-Dacar, escalou os montes Everest (Tibete) e Mckinley (Alasca), pedalou do Chile a Patagônia na Argentina e surfou a pororoca do Rio Araguari, na Amazônia.

Em suas andanças pelo mundo, o jornalista também ficou semanas sem ver a luz do dia, enfrentou ursos, disputou uma maratona na Antártica e teve a oportunidade de admirar de perto a aurora boreal.

Foi na capital paulista que o repórter atleta começou a participar de coberturas em esportes de aventura. Na primeira participação no programa Esporte Espetacular apresentou uma expedição ao topo do Illimani, na Bolívia, acompanhando o alpinista Makoto Ishibe. Foram duas edições na mesma montanha a 6,5 mil metros de altitude.

Em 1996 foi convidado para ser o apresentador do Esporte Espetacular. No ano seguinte estreou no Jornal Nacional. Em 2001, cobriu no Rio de Janeiro a primeira edição no país dos X Games, competição que levou o esporte de aventura para a grade de programação da Rede Globo.

Na sequência cobriu as corridas da Stock Car, a edição do Rally dos Sertões, e cobri 5 vezes o Rally Dakar, quatro na África e uma vez na América do Sul. Entre as reportagens excursões esteve - em 2002 - no monte Aconcágua (Argentina). Em 2005 escalou a montanha mais alta do mundo - o Monte Everest -, mas não concluiu a escalada devido as condições do tempo. Foi até 7.800 metros e o Everest tem quase 9 mil metros de altura, localizado na fronteira do Tibete com o Nepal. Já em 2007 subiu a montanha mais fria do mundo: o McKinley, no Alasca.

   Em 2007 participou da cobertura dos Jogos Pan-Americanos (Rio de Janeiro), para o Esporte Espetacular. Para o Bom Dia Brasil fez a série de reportagens “Viagem no Tempo”, onde mostrou a evolução tecnológica por que passaram os esportes e os equipamentos utilizados pelos atletas.

   Foi em julho de 2009 que estreou o quadro Esporte Extremo, no Esporte Espetacular. Em julho de 2011 fez uma edição especial do quadro para o Fantástico. “As produções do Planeta Extremo demandam um bom preparo físico. Então nunca deixo de estar preparado”, explica. Foi com toda essa preparação e coragem que passou do gelo na disputa da Maratona da Antártica, para as areias da Maratona de Sables, no Deserto do Saara.

   A Maratona da Antártica foi realizada na primeira temporada do programa, uma prova de 42 km, onde o repórter contou com apoio logístico: barraca, comida etc. A Maratona de Sables é uma prova com seis etapas e o atleta é autossuficiente: precisa levar na mochila tudo que vai usar durante sete dias no deserto. É uma prova dura, um evento de superação, solidariedade.

   Na estreia a segunda temporada do “Planeta Extremo”, em 2012, no “Fantástico”, foi para a Malásia, onde participou de uma maratona de escalada chamada de Climbaton, no Monte Kinabalu. O próximo programa foi nas corredeiras do Rio Zambeze, na África. São as corredeiras mais fortes do mundo.

   Conservani atravessou ileso duas temporadas do quadro Planeta Extremo. “Só me recordo de ter me machucado na primeira corrida de aventura que eu me propus a fazer, na década de 90. Com tudo isso virei expert em adrenalina, a ponto de já perder a conta das reportagens de aventura que fiz”, adianta.

   São 21 anos de TV Globo sempre buscando os esportes ao ar livre e expedições. Atualmente o repórter faz matérias especiais para o Esporte Espetacular. “Na minha palestra eu falo sobre planejamento, tomada de decisão, superação, trabalho em equipe e principalmente, na capacidade que temos em realizar tarefas que pareciam impossíveis”, explica. 

 

Curta e compartilhe nossa página no FaceBook.

PUBLICIDADE

Fonte: CAMPO MOURÃO | CIDADE PORTAL | ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO

OPINE!

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. © 2017. Todos direitos reservados. Jornalista Responsável - Jairo Tomazelli - 0011632/PR

Desenvolvido por Cidade Portal